Treinador português a poucas horas de fazer história no futebol do Médio Oriente

Chama-se Ricardo Silva e é português e está a poucas horas de poder entrar na história do futebol de Omã.

Ricardo Silva, coordenador e preparador físico da Federação de Futebol de Omã, está no Kuwait com a sua selecção para disputar a final da Taça dos Países do Médio Oriente, a competição mais importante de futebol daquela região, contra a selecção dos Emirados Árabes Unidos, com quem perderam o primeiro jogo da fase de grupos por 1-0, com um golo marcado através de uma grande penalidade.

Depois da selecção de Omã ter conquistado este troféu em 2009, vê agora a possibilidade de o voltar a conquistar, num confronto que está a gerar grandes expectativas. Ricardo Silva, profissional português que trabalhou como preparador físico com Erwin Sanchez no Boavista F.C. e na selecção da Bolívia, é também um experiente profissional na área motivacional, estando associado a resultados históricos como foi o da vitória da Bolívia à Argentina de Messi e companhia, comandados por Maradona, por 6-1 na fase de apuramento para o Campeonato do Mundo de África do Sul ou por ter ajudado a selecção sub-23 de Omã a atingir o melhor resultado de sempre na fase de apuramento para os Jogos Olímpicos de Londres ou ainda a conquista da Taça dos Países do Médio Oriente sub-23, no seu primeiro ano como técnico da selecção.

O impacto tremendamente positivo do trabalho desenvolvido por Ricardo Silva, CEO da empresa portuguesa de formação na área de coaching desportivo Alta Performance, permitiu que Omã abrisse portas a mais quatro técnicos portugueses indicados por si, técnicos esses formados pela FADEUP – Faculdade de Desporto da Universidade do Porto. Também neste campo Ricardo Silva mereceu uma nota de mérito nas indicações fornecidas, uma vez que dois dos quatro técnicos sagraram-se campeões de Omã pelo Fanja Club e Al Nahda.

Voltando ao desafio da final da competição, Ricardo Silva mostrou-se confiante no trabalho até agora desenvolvido pela equipa técnica e por todos os jogadores da selecção omanita. Numa breve análise, fez referência à experiência dos seus jogadores nesta competição, relembrando que tem na selecção Mohamed Musalami, Abdulaziz Al Moqbali, Ali Jabri e Basil, quatro jovens jogadores que conquistaram este troféu em 2011 pela selecção sub-23 e que poderão ser uma mais valia, pela sua juventude e irreverência. Disse ainda que a importância deste jogo para o país e para os omanitas pode ser medido, por exemplo, pelo gesto do Ministro do Desporto de Omã que patrocina a viagem de 15 voos para o Kuwait ou da Royal Air Force of Oman que disponibiliza vários voos para os adeptos apoiarem a selecção.